O que são Mármores e Granitos?

Rochas são agregados de um ou mais tipos de minerais. O tamanho e a disposição deles (aspecto) dependem de sua formação.

O termo rochas ornamentais é um nome comercial para designar as rochas passíveis de polimento, sendo assim, granitos são todas as rochas não carbonáticas e mármores são as carbonáticas. Os outros materiais como: ardósia, pedra mineira e pedra miracema são conhecidos simplesmente por pedras.

Os mármores são rochas metamórficas constituídas principalmente por minerais de calcita.
Já os granitos são rochas ígneas constituídas principalmente por minerais de quartzo, feldspato e mica.

Os minerais de calcita são facilmente atacados por soluções ácidas, além de serem mais frágeis e de dureza menor do que os minerais constituintes dos granitos. O quartzo e o feldspato são aproximadamente duas vezes mais “duro” (resistência relativa ao risco) do que a calcita.

Recomendações Gerais:

– Nunca deixe pontas de cigarro, cavacos de madeira, serragem, latas ou pregos, grampos de cabelos (materiais ferrosos) sobre o mármore ou granito, pois poderá ocasionar manchas;

– Para limpeza de mármores e granitos, não utilize água sanitária, ácido muriático, ou qualquer outro produto corrosivo e jamais remova sujeiras com objetos cortantes ou pontiagudos;

– Os mármores e granitos escuros são especialmente sensíveis a riscos.

– Os mármores e granitos claros são especialmente sensíveis a manchas de produtos ácidos (urina, coca-cola, laranja, limão);

– Para conservação dos mármores e granitos, sugerimos que trimestralmente, as peças / piso sejam lavados com detergente próprio para retirada de gorduras e impurezas podendo depois se aplicar produto impermeabilizante e por último cera apropriada;

– Os maiores inimigos do granito e do mármore são produtos oleosos, portanto, procure sempre limpar com a maior brevidade possível (principalmente os materiais mais sensíveis).

– Evitar colocar produtos, panelas, recipientes quentes ou muito frios diretamente sobre os mármores. Usar sempre aparadores ou porta-copos.

– Nunca subir em pias, tampos ou lavatórios usando-os como “degraus”, para limpeza de janelas, espelhos, etc.;

– A limpeza pode ser realizada diariamente com pano seco ou levemente umedecido em uma solução de água ou detergente com PH neutro (conforme orientação do fabricante)ou em uma solução de água e álcool de 15%

Como se Formam e Como Ocorrem na Natureza ?

O mármore é formado pela transformação de uma rocha sedimentar pré existente. Essa transformação, o metamorfismo, é o resultado de uma mudança no ambiente de deposição do calcário.

O granito é uma rocha ígnea formada por um magma em estado de fusão a grandes profundidades, no interior da terra onde ocorrem seu resfriamento e a sua solidificação.

O quartzo transparente, o feldspato e a biotita escura são os principais minerais formadores dos granitos. A coloração destas rochas é dada principalmente pela cor dos feldspatos.

Os granitos ocorrem tanto sob a forma de maciços rochosos como em matagões (blocos arredondados), os mármores são explorados através de cavas abertas ou cortes em taludes, pois não formam concentrações de matagões como os granitos.

Com grandes chances de acerto, a olho nu, pode-se distinguir os mármores pela característica da superfície da rocha: geralmente apresentam muitos veios, coloração mais homogênea e ausência de pigmentação preta (sob a forma de pontilhados), comum em quase 100% dos granitos.

Aprenda a Distinguir Mármores de Granitos

O método mais simples é riscando a superfície lisa da rocha com metal: o mármore é riscado e o granito não. Este fato se dá em função da dureza relativa dos minerais constituintes das rochas.

Os mármores são constituídos principalmente por calcita ( mineral de dureza 3 – escala de Friedrich Mohs), portanto pode ser riscado por metal.

Os granitos são constituídos principalmente por feldspato e quartzo ( minerais de dureza 6 e 7, respectivamente), e não podem ser riscados pelo metal, mas riscam o vidro e são riscados por outro mineral de dureza superior.

Os travertinos são rochas calcárias de sedimentações químicas, formadas pela combinação de bióxido de carbono com carbonato de cálcio em solução.

Mármores

Formado por Carbonato de Cálcio (CO3Ca) + Substâncias estranhas.
Têm veios mais evidentes e menos brilho que os granitos.
São mais moles e menos resistentes que os granitos.
São suscetíveis a manchas e desgaste.
São indicados para pisos internos de salas, halls e quartos.
São muito usados em banheiros e demais ambientes sociais.

Granitos

Formado por Mica + Quartzo + Feldspato + Substâncias estranhas
São mais duros e resistentes a ataques químicos do que os mármores.
Também são mais resistentes a absorção de água e a desgaste abrasivo.
São indicados para áreas externas ou internas, inclusive em cozinhas e lavanderias.
Muito utilizado em áreas comerciais.

Termos usados e seus significados:

Mármore – Rocha metamórfica de composição calcária. Recristalizada, dura e compacta, possui veios contínuos e cores variadas.

Granito – Rocha magmática formada de feldspato, quartzo e mica. Com cores também variadas, é mais duro que o mármore e não possui tantos veios. Ambas podem receber polimento ou outros acabamentos. Têm vasta aplicação na arquitetura, especialmente em revestimentos de pisos, paredes, bancadas e pias, em áreas internas ou externas.

Apicoado – Acabamento aconselhado para áreas externas. Feito à base de impactos (marteladas), tem aspecto poroso e textura uniforme.

Bisotado – Em tampos e bancadas de mármore ou granito é um tipo de arremate que cria chanfros a 45°. Já em peças para pisos tem a função de tirar o corte das arestas, evitando que as beiradas se quebrem.

Boleado – Arremate usado nas bordas das pias ou bancadas de mármores ou granito. Pode ser simples, feito a 90° ou 180°, ou duplo.

Bruto – Mármores e granitos sem qualquer acabamento, usados tal como são achados na natureza, apenas serrados.

Cabuchon – Na composição de pisos, nome dado às pequenas peças (geralmente com 5 x 5 cm ou 10 x 10 cm) que ficam entre a junção das maiores.

Corrida – Diz-se “seguir a corrida”. Termo usado colocadores de pisos de mármore e granito, significa assentar o piso de acordo com o sentido dos seus veios.

Cristalização – Processo feito por empresas especializadas com a função de criar uma película protetora para os pisos de mármore e granito.

Faixa – O mesmo que tabeira. Na composição de pisos em mármore ou granito, moldura que contorna o ambiente.

Flamejado – Acabamento de aspecto rugoso e ondulado, só para granito em áreas externas.

Frontão – Arremate entre a parede e a pia da cozinha ou a parede e o lavatório. Costuma medir 5 cm, 7 cm ou 10 cm de altura.

Guarnição – Arremate sobressalente feito geralmente nas bordas de pias de cozinha. Com 3 cm de espessura, salienta 1 cm, impedindo o escoamento da água.

Jateado – Acabamento à base de jato de areia, em peças de mármore ou granito. Sem brilho, é indicado para áreas externas.

Levigado – Semipolido, este acabamento dá aspecto opaco às peças de mármore ou granito. Indicado para áreas internas e externas.

Listello – Faixa padronizada com função decorativa, utilizada na composição de pisos de mármore ou granito.

Marmoleria – Conjunto de trabalhos feito em mármore.

Marmorear – Revestir com mármore.

Marmorista – O mesmo que marmoreiro ou marmorário. Serrador ou polidor de mármores.

Meia Cana – Arremate de mármore ou granito geralmente usado nas bordas de bancadas de lavatórios.

Movimentado – Termo usado pelos colocadores de mármore e granito para denominar peças com muitos veios.

Peito de Pombo – Arremate geralmente usado nas bordas de bancadas.

Polido – Mármores e granitos que recebem acabamento feito a partir de lustração. Indicados para áreas internas, têm aspecto liso e brilhante.

Rodapé – Colocado rente ao piso, rodeia e protege a parte inferior das paredes. Em mármore ou granito, costuma tem 5 cm ou 7 cm e arremate boleado ou reto.

O granito é uma rocha ígnea de grão fino, médio ou grosseiro, composta essencialmente por quartzo e feldspatos, tendo como minerais característicos frequentes moscovite, biotite e/ou anfíbolas.

A composição mineralógica dos granitos é definida por associações muito variadas de quartzo, feldspato, micas (biotite e/ou moscovite), anfíbolas (sobretudo horneblenda), piroxenas (augite e hiperstena) e olivina. Alguns desses constituintes podem estar ausentes em determinadas associações mineralógicas, anotando-se diversos outros minerais acessórios em proporções bem mais reduzidas. Quartzo, feldspatos, micas e anfíbolas são os minerais dominantes nas rochas graníticas e afins.

Macroscopicamente, o quartzo é reconhecido como mineral incolor, geralmente translúcido, muito comum nos granitos.
Granito no vale Yosemite (CA), Estados Unidos da América.

Os feldspatos (microclina, ortóclase e plagióclases), são os principais condicionantes do padrão cromático das rochas silicáticas, conferindo as colorações avermelhada, rosada e creme-acinzentada a estas rochas.

A cor negra variavelmente impregnada na matriz das rochas silicatadas, é conferida pelos minerais máficos (silicatos ferro-magnesianos), sobretudo anfíbolas (hornblenda) e micas (biotite), chamados vulgarmente de “carvão”.

Nos granitos mais leucocráticos (claros), portanto com menor quantidade de minerais ferro-magnesianos, o quartzo e o feldspato compõem normalmente entre 85% e 95% da rocha.

A textura das rochas silicatadas é determinada pela granulometria e hábito dos cristais, sendo a estrutura definida pela distribuição desses cristais. Composição, textura e estrutura representam assim parâmetros de grande importância para caracterização de granitos.

O granito é utilizado como rocha ornamental e na construção civil. Para o sector de pedras ornamentais e de revestimento, o termo granito designa um amplo conjunto de rochas silicatadas, abrangendo monzonitos, granodioritos, charnockitos, sienitos, dioritos, doleritos, basaltos e os próprios granitos.